SP Prorroga novamente campanha de vacinação

Foto/Imagem: Foto: Group Publishing

São Paulo e Vacinação

Cobertura vacinal contra gripe está abaixo de 50% das pessoas acima de 6 meses; meta é 90%

A Secretaria de Saúde de São Paulo prorrogou a campanha de vacinação contra o vírus Influenza, causador da gripe, para os moradores acima de seis meses. O novo prazo será estendido até o próximo dia 31 de agosto. Esta é a terceira vez que a vacinação é prorrogada. Na última vez, que ia até 30 de julho, a medida havia sido tomada depois de constatado que a imunização contra o vírus estava abaixo de 50%, mais precisamente em 44,5%. 

A secretaria informa que a cobertura vacinal no Estado havia subido para 47,8% no dia 31 de julho. Nos primeiros cinco meses deste ano, houve a aplicação de 6,1 milhões de doses da vacina. Entretanto, com os sucessivos alongamentos da campanha, foram imunizadas mais 5,9 milhões de pessoas em menos de dois meses, totalizando 12.017.605 doses aplicadas. A meta é a aplicação em 90% dessa população, de acordo com a pasta, que divulgou o novo prazo na última segunda-feira (31).

Ainda conforme a pasta, no ano passado foram registrados 3.116 casos de gripe em que houve a necessidade de internação hospitalar do paciente, ocasionando 339 mortes. Já em 2023, foram verificadas 2.398 hospitalizações até a última semana de junho, enquanto foram contabilizadas 1.596 internações e 266 óbitos no mesmo período do ano passado. “Apesar da queda na letalidade, o número de hospitalizações cresceu 50,2% nos sete primeiros meses de 2023”, informa a pasta.

De acordo com especialistas da área da medicina, febre, espirros, nariz congestionado, cansaço e dores no corpo geralmente são causados pela gripe. Crianças menores de 6 anos, idosos, gestantes e pessoas com comorbidades podem ser afetados com mais gravidade pela gripe, o que pode, inclusive, levar à morte. Segundo a secretaria, somente em 2023 foram registrados 222 óbitos decorrentes de casos graves causados pela infecção dos diversos tipos de vírus da Influenza. “A vacinação é eficaz em evitar a evolução da doença para estes quadros mais graves”, reforça a pasta.

Por fim, a pasta estadual da Saúde destaca que a vacina contra a gripe, desenvolvida pelo Instituto Butantan, é segura, eficaz e que raramente causa reações alérgicas. “Como o vírus tem alta capacidade de mutação e muda suas características ao longo do tempo, é preciso se imunizar todos os anos. A cepa do vírus H1N1 usada em 2023, por exemplo, é diferente da que foi usada para produzir os imunizantes no ano passado”, finaliza.

VACINA 

Ainda segundo a pasta da Saúde, a vacina contra o vírus Influenza é fabricada com vírus inativados das três principais cepas em circulação no Hemisfério Sul. O imunizante faz com que o “organismo produza anticorpos contra a infecção e estimule a memória das células para que elas aprendam a lidar com o vírus”. Sintomas como febre, mal-estar e dores musculares ocorrem em menos de 10% das pessoas que recebem a vacina. “Geralmente, quem desenvolve esses sintomas está recebendo este tipo de imunizante pela primeira vez. Reações alérgicas são consideradas raras”, informa.

O imunizante não apresenta qualquer risco diferente às gestantes do que ao restante da população apta a se vacinar. Além dos benefícios às mulheres, acrescenta a pasta, estudos indicam que “a proteção contra o vírus Influenza foi superior a 60% nos primeiros seis meses de vida dos bebês de mães vacinadas”. A vacina pode ser aplicada em qualquer momento da gestação e para mulheres que estão no período de 45 dias após o parto, o chamada “puerpério”.

GRUPOSPRIORITÁRIOS

Inicialmente, os grupos prioritários eram os formados por idosos acima de 60 anos, crianças entre 6 meses e 6 anos, povos indígenas, profissionais da saúde, professores, pessoas com comorbidades, integrantes das forças de segurança e salvamento, integrantes das Forças Armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes e população privada de liberdade. 

Mas, em 2023, o Ministério da Saúde ampliou a vacinação para todas as pessoas com mais de 6 meses. “Isso porque, uma vez imunizado, o indivíduo tem menos chance de contrair e transmitir a gripe, diminuindo o risco de contaminação até daquelas pessoas que não foram vacinadas”, relata trecho de nota no portal da secretaria. A vacina está disponível em aproximadamente 5.000 postos de vacinação distribuídos por todo território paulista.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente. Para as publicações patrocinadas: Imagens de produtos, informações sobre serviços e citações são inteiramente de responsabilidade da empresa que patrocina a publicação.

Publicidade

Este site utiliza cookies e tecnologias para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso site você aceita nossa  Política de Privacidade.