Tarcísio de Freitas, governador de São Paulo, oficializa o Dia da Consciência Negra como feriado em todo o estado

Foto/Imagem: Foto : Group Publishing

Dia da consciência negra

O governador Tarcísio de Freitas, do partido Republicanos, deu sua sanção a um projeto de lei apresentado pelo deputado estadual Teonilio Barba, do PT, tornando o Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro, um feriado oficial em todo o estado de São Paulo. Esta medida entrará em vigor já neste ano.

Embora o Dia da Consciência Negra já fosse feriado em algumas localidades do estado, ele não constava no calendário oficial de feriados paulistas. 

A data tem sido celebrada desde os anos 70, mas somente a partir de 2003 passou a ser um feriado em algumas cidades brasileiras.

Este dia é considerado um marco nas questões de identidade no Brasil. É celebrado como o dia da morte de Zumbi dos Palmares, líder quilombola e símbolo da “resistência e luta contra a opressão da escravidão”, de acordo com o governo Tarcísio.

O deputado Teonilio Barba expressou sua surpresa com a aprovação da lei, afirmando que considera essa ação importante por parte do governo. Ele ressaltou que apresentou o projeto após se comprometer com grupos ativistas que defendem essa causa.

Uma celebração vital para a diversidade brasileira

No coração pulsante do Brasil, sob o céu de novembro, ergue-se uma celebração de profundo significado histórico e cultural: o Dia da Consciência Negra. 

Neste vasto mosaico de cores, crenças e ritmos, o 20 de novembro se destaca como um farol de esperança e reflexão, iluminando os caminhos da diversidade que compõem a essência da nação brasileira.

A data, imortalizada em nosso calendário desde 2003, é um tributo a Zumbi dos Palmares, líder quilombola que desafiou a opressão da escravidão e se tornou um símbolo de resistência e liberdade. O 20 de novembro marca o dia de sua morte, ocorrida em 1695, e nos convida a mergulhar na riqueza do legado africano que permeia nossa cultura.

A importância do Dia da Consciência Negra transcende a mera celebração. É uma oportunidade para compreendermos a vastidão da herança africana que se entrelaçou com as raízes indígenas e europeias para formar a identidade do Brasil. Nossa língua, culinária, música e religião carregam a influência marcante dessa fusão.

O Brasil, com sua vasta geografia e uma população diversificada, é uma nação que abriga uma multiplicidade de etnias, culturas e tradições. O Dia da Consciência Negra nos lembra que essa diversidade é nosso maior tesouro, algo a ser celebrado e protegido.

Embora tenhamos feito avanços significativos na promoção da igualdade racial, a batalha contra o racismo está longe de ser vencida. 

O Dia da Consciência Negra é também um chamado à ação, um convite à reflexão sobre as desigualdades persistentes e uma oportunidade para comprometermos nossos esforços na construção de um Brasil verdadeiramente inclusivo e justo.

*Utilizamos imagens de livre exposição e bancos contratados, mas caso alguma imagem ou texto tenha direitos autorais, entre em contato conosco que removeremos imediatamente. Para as publicações patrocinadas: Imagens de produtos, informações sobre serviços e citações são inteiramente de responsabilidade da empresa que patrocina a publicação.

Publicidade

Este site utiliza cookies e tecnologias para personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao navegar em nosso site você aceita nossa  Política de Privacidade.